terça-feira, 12 de fevereiro de 2008

Pra você Deus criou o mal?


Lembrei de um assunto interessante que eu e o Evangelista Bruno tratamos na rádio há um tempo atrás. A questão é: Se Deus criou tudo, Deus também criou o mal?

Concluímos que Deus criou o mal através do seguinte texto:
Isaías 45:7 Eu formo a luz e crio as trevas; eu faço a paz e crio o mal; eu, o SENHOR, faço todas essas coisas.

Agora precisamos entender que mal foi esse que Deus criou. Deus estabeleceu um princípio eterno de bem e mal, e deixou um registro desse princípio no Jardim, a árvore do conhecimento do bem e do mal. Gênesis 2:17 mas da árvore do conhecimento do bem e do mal não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás.
Fica claro nesse texto que Deus não desejava que o homem experimentasse do conhecimento do bem e do mal, mas não negou o acesso a árvore, estabelecendo uma relação de confiança. Deus não criou um robô ou uma marionete, criou um ser pensante a sua imagem e semelhança, capaz de interagir com Ele, a fim de se relacionarem e serem amigos.

O não conhecimento do bem e do mal reflete na inocência que homem tinha, em não se enxergar nu. A pureza do coração do homem refletia atitudes superiores à beneficência ou a bondade, eram atos diários de pureza simplesmente sincera.

Deus criou o bem e o mal como princípio, mas não criou a maldade do coração do homem, e a capacidade deste fazer e multiplicar sua maldade. Pelo princípio estabelecido Deus disse “não comerás; porque, no dia em que dela comeres, certamente morrerás”. E o homem tem justamente colhido o resultado do princípio estabelecido por Deus, a morte.

Gênesis 6:3 Então, disse o SENHOR: Não contenderá o meu Espírito para sempre com o homem, porque ele também é carne; porém os seus dias serão cento e vinte anos.
5 Viu o SENHOR que a maldade do homem se havia multiplicado na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração;


Cabe agora ao homem detentor do conhecimento do bem e do mal dominar o seu instinto pecaminoso para proceder bem.
Gênesis 4:7 Se procederes bem, não é certo que serás aceito? Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, mas a ti cumpre dominá-lo.

Escolher a vida, é viver sob a bênção de Deus, fazendo o bem, e rejeitando o mal.
Deuteronômio 30:19 Os céus e a terra tomo, hoje, por testemunhas contra ti, que te propus a vida e a morte, a bênção e a maldição; escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e a tua descendência.

Apesar do mal que o homem abraçou Deus trouxe a salvação através de Jesus Cristo.
Romanos 6:23 porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.

O texto abaixo relata a discussão ocorrida numa aula do Curso de MBA Executivo Gestão em Serviços da UFPE.

Um professor ateu desafiou seus alunos com esta pergunta:
- Deus fez tudo que existe?
Um estudante respondeu corajosamente:
- Sim, fez!
- Deus fez tudo, mesmo?
- Sim, professor - respondeu o jovem.
O professor replicou:
- Se Deus fez todas as coisas, então Deus fez o mal, pois o mal existe, considerando-se que nossas ações são um reflexo de nós mesmos, então Deus é mau.
O estudante calou-se diante de tal resposta e o professor, feliz, se vangloriava de haver provado uma vez mais que a Fé era um mito.
Outro estudante levantou sua mão e disse:
- Posso lhe fazer uma pergunta, professor?
- Sem dúvida - respondeu o professor.
O jovem ficou de pé e perguntou:
- Professor, o frio existe?
- Mas que pergunta é essa?
Claro que existe, você por acaso nunca sentiu frio?
O rapaz respondeu:
- Na verdade, professor, o frio não existe. Segundo as leis da Física, o que consideramos frio, na realidade é ausência de calor. Todo corpo ou objeto pode ser estudado quando tem ou transmite energia, mas é o calor e não o frio que faz com que tal corpo tenha ou transmita energia.
O zero absoluto é a ausência total e absoluta de calor, todos os corpos ficam inertes, incapazes de reagir, mas o frio não existe. Criamos esse termo para descrever como nos sentimos quando nos falta o calor.
- E a escuridão, existe? - continuou o estudante.
O professor respondeu:
- Mas é claro que sim.
O estudante respondeu:
- Novamente o senhor se engana, a escuridão tampouco existe. A escuridão é na verdade a ausência de luz.
Podemos estudar a luz, mas a escuridão não.
O prisma de Newton decompõe a luz branca nas varias cores de que se compõe, com seus diferentes comprimentos de onda. A escuridão não. Um simples raio de luz rasga as trevas e ilumina a superfície que a luz toca. Como se faz para determinar quão escuro está um determinado local do espaço? Apenas com base na quantidade de luz presente nesse local, não é mesmo?
Escuridão é um termo que o homem criou para descrever o que acontece quando não há luz presente.
Finalmente, o jovem estudante perguntou ao professor:
- Diga, professor, o mal existe?
Ele respondeu:
- Claro que existe.
Como eu disse no início da aula, vemos roubos, crimes e violência diariamente em todas as partes do mundo, essas coisas são o mal. Então o estudante respondeu:
- O mal não existe, professor, ou ao menos não existe por si só. O mal é simplesmente a ausência de Deus.
É, como nos casos anteriores, um termo que o homem criou para descrever essa ausência de Deus. Deus não criou o mal. Não é como a Fé ou o Amor, que existem como existe a Luz e o Calor.
O mal resulta de que a humanidade não tenha Deus presente em seus
corações.
" O mal é como o frio que surge quando não há calor, ou a escuridão, que acontece quando não há luz".

João 8:12 Falou-lhes, pois, Jesus outra vez, dizendo: Eu sou a luz do mundo; quem me segue não andará em trevas, mas terá a luz da vida.

3 comentários:

Anônimo disse...

muito bem colocado. Valeu!

Roberto disse...

Creio que esse mal citado no versiculo de Isaías não se refere àquilo que se opoe ao bem e sim, conforme o contexto, a guerra(que se opoe a paz).

Em outras palavras Deus dá tanto a paz como a tribulação, conforme sua vontade, mas tudo é para aquilo que Ele chama de "bem".

Reinam disse...

@ Roberto - Vemos o princípio do bem e mal criado por Deus nas suas manifestações físicas, nesse caso bem ressaltado por você sobre o contexto, o que não nos leva em momento algum para longe do tema principal aqui abordado.
Deus colocou a árvore no jardim, e deu ao homem a possibilidade de viver sem o conhecimento do bem e do mal, apenas na dispensação da inocência, mas pecando ao não confiar em Deus e comer o fruto, o homem passou a ver o mal crescendo em seu coração geração após geração. A guerra é apenas mais um fruto desse conhecimento, que a meu ver Deus não causa para ensinar o bem, mas é uma conseqüência do princípio estabelecido, e como Supremo Juiz cabe a Ele a sentença. Todo juízo é para arrependimento e aprendizado do homem ou da sociedade, com exceção do juízo eterno.

Últimos Comentários